TILT TEST

COMO É FEITO O TILT TEST?

O Tilt Test (Teste Inclinado) é um procedimento diagnóstico em que o paciente é colocado em uma maca apropriada com suporte para os pés, sendo monitorizados o traçado eletrocardiográfico, a pressão arterial e os sintomas clínicos.

Após um período de repouso de 10 minutos a zero grau, a maca é, então, inclinada a 60 graus (a cabeça fica para cima, nunca fica de ponta-cabeça!) durante 25 minutos. Caso não ocorram sintomas, ministra-se uma dose baixa de Isordil via sublingual e o exame é estendido por mais 25 minutos.

O exame é interrompido caso ocorram sintomas, quedas de pressão arterial e/ou freqüência cardíaca.



COMO SÃO INTERPRETADOS OS RESULTADOS?

O Tilt Test é considerado “positivo” para síncope vaso vagal quando ocorrem sintomas sincopais acompanhados por queda da pressão e/ou da freqüência cardíaca.

Além disso, outras alterações potencialmente consideradas causadoras de síncopes podem ser detectadas pelo exame.

São elas:

          - Disautonomias - queda de pressão arterial nos primeiros minutos após a inclinação desacompanhada do aumento nos batimentos cardíacos.
          - Hipotensão Ortostática - queda de pressão arterial acompanhada de elevação de freqüência cardíaca.
          - Síndrome da Taquicardia Postural Ortostática - elevação de freqüência cardíaca superior a 120 bpm ou mais de 30 bpm em relação ao repouso, após a inclinação (sem queda de pressão arterial).
          - Hipersensibilidade do Seio Carotídeo ? queda superior a 50 mmHg de pressão arterial sistólica ou bradicardia interna após massagem do seio carotídeo.

Respostas negativas:

          - Ausência de quaisquer dos eventos acima citados.

RISCO DO EXAME

O exame é, em geral, bem tolerado. Não há registros de morte durante sua realização.

Contudo, o teste pode desencadear desmaios, vômitos, abalos musculares momentâneos, mal estar e dor de cabeça (todos temporários!).

UTILIDADE DO MÉTODO

Como os desmaios são episódicos, imprevisíveis e de múltiplas origens, a certeza quanto à causa de síncope reveste-se de fundamental importância para instituir-se um tratamento apropriado e determinar o prognóstico (risco).

Dessa forma, pacientes com síncopes devem procurar atendimento com médico familiarizado com a doença, devendo-se imediatamente descartar ou não a presença de cardiopatia estrutural e/ou arritmia.

Distúrbios neurológicos avançados, como doença de Parkinson, por exemplo, devem ser observados.

Na ausência dessas enfermidades, a causa mais comum de síncope é a vaso vagal (neurocardiogênica, reflexa ou neuro-mediada).

Ela é uma alteração no sistema nervoso autônomo em que, mediante alguns estímulos (ficar em pé durante muito tempo, ver sangue, stress, tosse, etc) ocorre uma queda acentuada na pressão arterial e/ou da freqüência cardíaca gerando um colapso circulatório cuja apresentação clínica é um desmaio.

É uma condição comum, benigna, porém frequentemente recorrente ocasionando apreensão no paciente e na família, e geralmente consumindo muitos recursos financeiros e emocionais durante sua investigação.

O Tilt Test é o exame que consegue desencadear, no laboratório, este tipo de síncope em indivíduos suscetíveis, facilitando assim o seu diagnóstico.